Home Missas Catequese Batismo Casamentos Mensagens da Semana Outros Atendimentos Histórico Obras Sociais Imagens Fale Conosco

           Processo Matrimonial

ORIENTAÇÕES AOS NOIVOS

I - INFORMAÇÕES GERAIS

1.1 – Recomendamos que o agendamento seja feito com até 1 ano e meio de antecedência, para evitar problemas de falta de datas ou horários. Lembramos aos noivos que os cancelamentos de confirmações de Matrimônios seguirão os critérios expostos nos Termos e Condições de Uso das dependências da Paróquia Nossa Senhora Mãe do Salvador (Cruz Torta) para Celebração de Matrimônioque os noivos assinarão e receberão no dia do agendamento. Não agendamos, nem cancelamos matrimônios por telefone, carta ou e-mail.

II - DIAS E HORÁRIOS DE CELEBRAÇÃO DO MATRIMÔNIO

1 –  Os matrimônios podem ser celebrados de segunda-feira a sábado, nos seguintes horários:

            De segunda a sexta-feira: às 20h.

            Aos sábados: às 11h, 17h30, 19h, 20h30.

2 – Outros horários poderão ser abertos somente com autorização do Pároco.

Observação: Em nossa Paróquia só são celebrados casamentos aos domingos e feriados religiosos ou civis, a título de exceção, mediante contribuição diferenciada.

III - DOCUMENTOS NECESSÁRIOS

1 – Como regra geral, o casal deve apresentar (relativamente a cada um dos noivos):

(1)  RG (cópia);

(2)  CPF (cópia);

(3)  Comprovante de Endereço (cópia);

(4)  Certidão de Batismo atualizada – cuja validade é de 6 meses (original);

(5)  Certidão de Nascimento atualizada (cópia);

(6)  Comprovante de participação do Encontro de Preparação para o Matrimônio – Curso de Noivos (original).

2 – Estes documentos devem ser entregues na Secretaria da Paróquia mais próxima da residência de um dos dois, no máximo 06 (seis) e, no mínimo 03 (três) meses de antecedência do casamento. Caso a Paróquia mais próxima não seja a Paróquia Nossa Senhora Mãe do Salvador, favor pedir a Transferência, que lhes será entregue após correrem os proclamas. A transferência deve ser trazida para esta Paróquia com antecedência de, no mínimo, 1 (um) mês da data do matrimônio.

3 – Os noivos podem trazer outro assistente qualificado para a celebração de casamentos ou bodas, desde que: informem com antecedência mínima de 15 dias o nome completo e o telefone do celebrante convidado e, que ele seja bispo, padre ou diácono na Igreja Católica Apostólica Romana.

4 – No caso de noivos divorciados não casados na igreja ou para os casamentos de mista religião (condições diferenciadas), os noivos precisam informar a Secretaria da Paróquia, pois tais condições requerem uma autorização especial da Arquidiocese de São Paulo para a realização da cerimônia. Não serão celebrados matrimônios se um dos noivos já foi casado na Igreja Católica Apostólica Romana, salvo se exibir prova de nulidade matrimonial emitida pelo Tribunal Eclesiástico da Igreja.

IV - PROCESSO CIVIL

Se os noivos optarem pelo casamento religioso com efeito civil, deverão se dirigir ao cartório mais próximo da residência de um dos dois para dar entrada, pelo menos, 60 dias antes da data do religioso; além de verificar junto ao mesmo quais documentos e procedimentos serão necessários. Caso seja solicitado pelo Cartório algum requerimento da igreja, entrar em contato com a secretaria da Paróquia para retirá-lo.

V - CERIMÔNIA DO MATRIMÔNIO

1 – No dia do matrimônio não serão permitidos, em hipótese alguma, atrasos na cerimônia. Por isso, recomenda-se que marquem no convite, pelo menos, quinze minutos antes do horário de início da celebração. Considerando-se que nesta Paróquia são agendadas celebrações sucessivas, com a mediação de 1 (uma) hora entre elas, de forma a não atrasar as celebrações subsequentes, a nave e o presbitério da igreja deverão estar totalmente liberados em até 50 (cinquenta) minutos após a hora agendada para início da celebração (por exemplo: celebrações agendadas para início às 18h, deverão findar-se até 18h50).

2 – É de bom tom que convidados , especialmente aqueles(as)que vão ficar no presbitério. Também é recomendável que noivos, pais e padrinhos não masquem balas ou chicletes durante a celebração.

3 – De modo a combinar eventuais detalhes da celebração e/ou obter esclarecimentos de dúvidas sobre a cerimônia, o noivo, os pais, as daminhas e os padrinhos deverão chegar à Igreja, ao menos, 30 (trinta) minutos antes da hora marcada para o início da celebração. O noivo deverá se dirigir à Secretaria.

4 – A noiva deverá adentrar ao pátio da Igreja até 5 (cinco) minutos antes do início da celebração, sendo permitido ao veículo que a estiver conduzindo, avançar até a entrada da Igreja.

5 – A celebração sacramental terá o tempo máximo de 40 (quarenta) minutos e será iniciada no horário marcado não sendo admitido nenhum atraso.

6 – O cortejo (formado pelos pais e padrinhos) deve estar montado 10 (dez) minutos antes do início da celebração, independentemente de quem estiver faltando.

7 – A disposição litúrgica no presbitério (altar e ambiente que lhe circunda) não pode ser alterada.

8 – As noivas deixarão o buquê sobre os genuflexórios ou com alguma madrinha, nunca sobre o altar.

VI - ASSESSORIA

6.1 – A Assessoria ao evento poderá ser contratada, desde que conste no guia de profissionais credenciados, a fim de evitar interferências e transtornos nos trabalhos da Igreja e de seus funcionários.

6.2 – Caso os noivos optem por outro profissional de assessoria não credenciado, esse profissional deverá entrar em contato com a secretaria paroquiala fim de receber as devidas orientações para realizar o seu trabalho.

VII - DECORAÇÃO

7,1 – Os noivos deem preferência para contratar os profissionais que estão cadastrados no Guia, de modo a evitar danos ao patrimônio da Igreja e assegurar que a decoração a ser executada guarde sintonia com a celebração matrimonial. Outros profissionais também poderão ser contratados pelos noivos, desde que sejam devidamente avisados que, com uma semana de antecedência, deverão se dirigir à secretaria para conhecerem as normas e efetuarem o pagamento de uma CONTRIBUIÇÃO para as obras sociais da Paróquia, cujo valor está fixado em R$ 1300,00, conforme divulgado no site da Paróquia.

7.2 – Quando houver mais de um casamento no mesmo dia, as despesas de decoração deverão ser rateadas entre os casais. Nessa hipótese, os casais cujas celebrações estejam agendadas para a mesma data, deverão escolher de comum acordo o tipo de decoração a ser executado e os profissionais

7.3 – É recomendável fechar contrato com a empresa de decoração, apenas com 05 (cinco) meses de antecedência do casamento.

Nota: As empresas não podem forçar as noivas a fecharem contrato antes do tempo determinado pela Paróquia (três meses antes do matrimônio). Caso isso ocorra, comuniquem imediatamente a Secretaria.

  7.4 – O Casal que contratar a decoração, sem a concordância dos demaisarcará com a totalidade dos custos sozinho. Ademais, os casais com celebração agendada para a mesma data deverão concordar com o tipo de decoração escolhida.

  7.5 – É proibido colocar arranjos nos bancos da Paróquia (para evitar manchar os mesmos), assim como no teto e paredes. Só serão permitidos se colocados sobre colunas ou pedestais. Caso haja necessidade de prender as colunas, deverão fazê-lo com fitilhos.

  7.6  Na entrada, na saída e durante a celebração é EXPRESSAMENTE PROIBIDO jogar arroz ou pétalas de flores (nem mesmo na porta da igreja, nem no jardim de entrada), devido ao risco de quedas e acidentes. Compete aos noivos avisar seus familiares e amigos a respeito desta vedação, respondendo diretamente pelos danos decorrentes da violação dessa determinação.

 VIII - CORAL / MÚSICA

8.1 – Os noivos deem preferência para contratar os profissionais que estão cadastrados no Guia, de modo a evitar danos ao patrimônio da Igreja e assegurar que a música contribua para o clima religioso da celebração matrimonial. Outros profissionais também poderão ser contratados pelos noivos, desde que sejam devidamente avisados que, com uma semana de antecedência, deverão se dirigir à secretaria para conhecerem as normas e efetuarem o pagamento de uma CONTRIBUIÇÃO para as obras sociais da Paróquia, cujo valor está fixado em R$ 1300,00, conforme divulgado no site da Paróquia.

 8.2 – A “sala de espera” tem por finalidade propiciar aos convidados um ambiente acolhedor e favorável ao encontro com Deus. As músicas instrumentais clássicas ou barrocas e as músicas sacras atingem com facilidade este fim e são as mais indicadas para este momento.

 8.3 – Para atingir esse objetivo e realçar a dignidade da celebração do Sacramento do Matrimônio, estabelecemos que, desde a sala de espera até a bênção final, as musicas serão clássicas, barrocas ou sacras, exceto para as daminhas que entrarem antes do início da celebração; o teclado só poderá usar sons de órgão ou piano e os instrumentos de percussão serão utilizados com efeito sinfônico apenas, sendo vedada a condução de ritmo (bateria). Após a bênção final, as músicas estarão liberadas das regras anteriores, desde que sejam condizentes com o ambiente religioso.

 8.4 – Lembramos aos noivos que é proibido o uso de som muito alto dentro da Igreja, pois contraria o objetivo do encontro sagrado: a harmonia.

 8.5 – Os corais devem cantar no piso da nave da Igreja (sem adentrar no presbitério).

 8.6 – Serão permitidos até quatro cortejos de entrada por evento e um cortejo de saída, assim como clarins nos degraus do presbitério na entrada da noiva (não no corredor da Igreja). Lembrar que, se os recém-casados quiserem que os padrinhos cumprimentem-nos parados e saiam, os mesmos deverão sair em seguida com a mesma música, para não caracterizar dois cortejos.

 8.7 – Na bênção das alianças deve ser cantada (nos casos em que forem contratados cantores; caso contrário, seja tocada) uma Ave Maria, se o casal for católico; caso um deles seja cristão de outra denominação, ou um deles não seja cristão, seja cantada ou tocada uma música sacra previamente aprovada pelo sacerdote.

8.8 – Em caso de comunhão dos noivos na celebração, sugerimos que se execute um canto ou uma música instrumental adequada, como, por exemplo: “Panis Angelicus” ou outro relacionado com a Eucaristia.

 IX - FOTO E VÍDEO

9.1 – Os noivos deem preferência para contratar os profissionais que estão cadastrados no Guia, de modo a evitar danos ao patrimônio da Igreja e assegurar que seja mantida a atenção na celebração matrimonial. Outros profissionais também poderão ser contratados pelos noivos, desde que sejam devidamente avisados que, com uma semana de antecedência, deverão se dirigir à secretaria para conhecerem as normas e efetuarem o pagamento de uma CONTRIBUIÇÃO para as obras sociais da Paróquia, cujo valor está fixado em R$ 1300,00, conforme divulgado no site da Paróquia.

 9.2 – Não é permitido parar os integrantes dos cortejos (noivos, pais, daminhas e padrinhos) para fotografá-los durante o cortejo de entrada, nem de saída.

 9.3 – Dentro da celebração, durante a Liturgia da Palavra – que compreende a Leitura, o Salmo, o Evangelho e a Homilia – só será permitido um cinegrafista fixo, no presbitério, ao lado dos padrinhos da noiva, com uma filmadora sobre os ombros (sem suportes, nem pedestais). Além disso, um fotógrafo e um cinegrafista poderão ficar no primeiro banco (sem luz e sem “flash”) sem movimentação. Caso queiram, um fotógrafo ou cinegrafista poderá ficar do lado de fora da Igreja. Nos demais momentos, os profissionais poderão movimentar-se livremente, desde que não atrapalhem o sacerdote.

  9.4 – Sempre que possível, utilizar duas câmeras para agilizar o término da celebração, principalmente nos cumprimentos, a fim de não atrasar os matrimônios seguintes.

   9.5 – Na saída, quando forem tirar fotos no jardim, sejam estas rápidas. Levem imediatamente os noivos para lá. Lembramos que é proibido dar uma volta no quarteirão e, depois, retornar à Igreja – principalmente no último horário de matrimônio.

 X - SALÃO DE FESTAS / BUFFETS

10.1 – Aplicam-se ao uso do salão de festas, as mesmas regras inerentes à celebração no que tange aos profissionais de Decoração, Coral e Foto e Vídeo. Os buffets não poderão indicar aos noivos, nem os noivos poderão contratar profissionais que não estejam cadastrados no Guia. Caso a festa seja realizada no Salão Paroquial, os buffets não poderão fechar pacotes que incluam profissionais não credenciados, nem indicar tais profissionais.

10.2 – As festas realizadas no Salão Paroquial, quanto ao horário de término, combinar com a secretaria. A área externa do salão só será aberta após o último casamento.

OBSERVAÇÃO: Após às 22h, há que serem respeitadas as normas e os limites sobre poluição sonora previstos pela municipalidade.

10.3 – Relembramos, também, que a responsabilidade de limpeza e abastecimento com materiais nos banheiros durante as festas é única exclusiva dos noivos. Portanto, a Paróquia não se responsabiliza pela falta de materiais ou de pessoas para executarem tais serviços.

10.4 – Para o uso do salão ficaram definidas as seguintes normas: não será permitido colar nada nas paredes, nem no teto do salão (nem delas descolar). Igualmente, sem prévia autorização e posterior recolocação é expressamente vedado retirar das paredes do salão, quaisquer quadros, avisos, extintores, setas indicativas e similares; a partir do momento que o salão for reformado, todos os objetos e materiais utilizados no salão (mesas, cadeiras, suportes para materiais decorativos, instrumentos e equipamentos musicais e afins), deverão ser protegidos por feltros para preservar o piso de ranhuras e riscos. É expressamente proibido utilizar as tomadas destinadas aos aparelhos de ar condicionado para ligar lâmpadas, holofotes, caixas de som, aparelhos foto-cinematográficos, computadores e outros equipamentos eletro-eletrônicos.

10.5 – Reserva de Salão: Deverá ser feita diretamente na secretaria, ou se preferir, pelos telefones: (11)3031-8554 ou (11)3032-2336. A capacidade do salão para coquetel é de 250 pessoas, e 160 pessoas para serviços com jantar.

10.6 – Música no Salão: É permitido somente som ambiente (ao vivo e dançante não).

XI – GERADOR

11.1 – Caso os noivos optem por contratar um gerador de energia, seja para a Igreja, seja para o Salão de Festas, o mesmo será estacionado na Avenida Professor Frederico Herrmann Júnior, nunca na Rua Vupabussu, devido ao ruído.

XII – CLÁUSULA PENAL

12.1 – O uso da Paróquia para as Celebrações Matrimoniais será autorizado mediante o pagamento de uma CONTRIBUIÇÃO  para os custos e para o auxílio às obras sociais da paróquia, cujo valor será informado na secretaria paroquial por ocasião da reserva. Essa contribuição também pode ser parcelada.

12.2 – Indenização por Pré-Fixação das Perdas e Danos (IPFPD). Respeitado o quanto disposto no artigo 49 do Código de Defesa do Consumidor, os Aderentes aos aderentes aos presentes Termos e Condições de Uso das dependências da Paróquia Cruz Torta para Celebração de Matrimônio pagarão em favor da Paróquia a título de pré-fixação das perdas e danos, uma indenização diretamente proporcional ao prazo faltante para realização da cerimônia de casamento, como segue:

(1)  20% do valor da Contribuição por Adesão, se a desistência de uso se der a mais de 12 (doze) meses da data assinalada para realização da cerimônia de casamento;

(2)  40% do valor da Contribuição por Adesão, se a desistência de uso se der a mais de 9 (nove) e menos 12 (doze) meses da data assinalada para realização da cerimônia de casamento;

(3)  60% do valor da Contribuição por Adesão, se a desistência de uso se der a mais de 6 (seis) e menos 9 (nove) meses da data assinalada para realização da cerimônia de casamento

(4)  80% do valor da Contribuição por Adesão, se a desistência de uso se der a mais de 3 (nove) e menos 6 (doze) meses da data assinalada para realização da cerimônia de casamento;

(5)  100% do valor da Contribuição por Adesão, se a desistência de uso se der a menos de 3 (nove)) mesesda data assinalada para realização da cerimônia de casamento

Nota 1: Nos casos de transferência de data da cerimônia de casamento, a IPFPD seguirá o mesmo escalonamento do item anterior em relação ao prazo faltante, reduzindo-se à metade os valores estabelecidos para o Cancelamento. Caso a transferência ocorra para um outro ano civil, os noivos também pagarão a diferença da Contribuição vigente naquele ano.

Nota 2: O cancelamento do salão, implicará na perda de 30% do valor, se o mesmo ocorrer até seis meses antes do dia agendado para a celebração do Sacramento do Matrimônio; se a desistência de uso se der a menos de seis meses, não haverá restituição de valores. (O critério para a devolução baseia-se na primeira data agendada)